quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Valve anuncia SteamOS


Desde que Gabe Newell fundador da Valve e criador do Steam (plataforma de distribuição de jogos) demonstrou publicamente o seu desagrado pelo Windows 8 e pelo rumo que a MS estava a dar ao seu sistema operativo que depressa se percebeu que haveria apenas uma solução: a criação do seu próprio sistema operativo... que hoje foi finalmente apresentado, o SteamOS.

Baseado em Linux, plataforma à qual o Steam se tem aproximado há algum tempo (e percebendo-se bem porquê), este sistema operativo gratuito irá privilegiar o máximo desempenho para os jogos e para uma utilização "na sala de estar". Está visto que o objectivo é promover o PC enquanto plataforma de jogos com todas as vantagens que tem (hardware actualizável, à medida do orçamento de cada um), e combater a nova geração de consolas (Xbox One e PS4) já desde o início, antes que tenham possibilidade de dominar totalmente o mercado.

A Valve também aposta noutras vertentes, como filmes, música, partilha de jogos, e "streaming" de jogos (se bem que não tenham entrado em pormenores - mas potencialmente sendo uma forma de levar o vasto catálogo de jogos no Steam para Windows que não estão disponíveis em Linux para o SteamOS ao estilo do Gaikai).

Este é o primeiro de três grandes anúncios prometidos para esta semana, sendo que os próximos se esperam que sejam uma SteamBox de referência para o que será esta plataforma de jogos; e no final da semana, a revelação de que estará para chegar o Half-Life 3 (que muito bem fariam em fazer que fosse um exclusivo para o SteamOS para ajudar a promover esta plataforma.)


Pessoalmente, sendo utilizador do Steam acho que esta medida faz todo o sentido... pois da maneira que as coisas estão a seguir no Windows, não seria garantido que daqui por mais alguns anos o Steam se pudesse manter. Por outro lado, começo a recear que este SteamOS possa inspirar outros gigantes a quererem fazer algo idêntico e a "fragmentarem" ainda mais as plataformas de jogos. A EA e Ubisoft (e outros) já optaram por ter também as suas lojas de jogos online ao estilo Steam. Quem nos diz que no futuro não se aventurem também a criar um EA_OS, e um UbisoftOS, e onde cada grande estúdio começa a produzir em exclusivo produtos para a sua própria plataforma? Seria uma enorme dor de cabeça para os consumidores... e espero bem que não seja esse o caminho.

Vamos ver qual será a reacção dos gamers PC a este SteamOS - assim como a dos grandes estúdios (embora considerando a relação que a maioria deles já tem com o Steam, não me pareça que o problema surja por aí). Em jeito de consideração final... qual será o peso que o "gaming" tem no Windows? Isto é, qual será a percentagem de computadores com Windows que apenas usam esse sistema por suportar os jogos que os utilizadores querem, e que se não fosse por isso mudariam para qualquer outro sistema? Também será outra das coisas que este SteamOS poderá vir a revelar.

[republicado do Aberto até de Madrugada]

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails