sábado, 8 de março de 2014

DLCs: Divertimento acrescido ou a busca pelo lucro fácil?


Muitas vezes é fácil criarem-se falsas memórias de como as coisas eram noutros tempos, com as coisas boas a serem destacadas e as más a ficarem esquecidas. Mas no caso dos videojogos, não posso deixar de ficar um pouco desapontado como a busca cega pelos "euros" se tem tornado no ponto principal de muitos estúdios. O factor divertimento e a ética passam a ser completamente secundários face à satisfação dos clientes, e todas as tácticas são usadas para amealhar euros extra.

Ora bem... os jogos e o dinheiro sempre estiveram associados - não nos vamos esquecer das máquinas arcade alimentadas a moedas. E nos jogos comprados, para as consolas e computadores, é lógico que o objectivo era ganhar dinheiro suficiente para, pelo menos, os seus developers (e editores) poderem pagar as contas e continuarem a fazer o trabalho que gostavam. Mas noutros tempos, quando se comprava um jogo, pronto, estava feito, para o melhor e para o pior.

Depois de ser posto à venda, poucas eram as hipóteses de se poder vir a fazer uma correcção posterior. Hoje em dia, graças à internet, temos a sorte de um bug poder ser corrigido após o lançamento do jogo - o que é positivo. O problema é que o sistema tem sido subvertido, e graças a essa facilidade do "depois pode corrigir-se" somos confrontados cada vez mais com produtos que são postos à venda em formato inacabado, com a promessa que depois, eventualmente, tudo será corrigido. E isso não se passa apenas com os bugs como - e agora a pagar - com os próprios conteúdos e até... as batotas!

Era frequente nos jogos haver sempre algum "truque" que dava acesso a um qualquer cheat mode ou easter egg. Os famosos "god mode" que nos tornavam invencíveis, ou desbloquear imediatamente o acesso a todos os níveis. E é precisamente este ponto que me inspirou a escrever este artigo hoje. É que até isso é actualmente usado para ganhar dinheiro à custa dos jogadores.

Um jogo como o NFS Most Wanted, actualmente à venda na Origin (EA) por 29,99€ (embora possa ser encontrado noutras lojas online por valores inferiores a 7€!) poderá parecer um bom negócio... mas uma espreitadela aos "extras" mostra-nos ao ponto a que as coisas chegaram, com uma dezena de opções extra, com preços que variam entre os 6.99€ e os exorbitantes 39.99€, mais que o valor do próprio jogo!

O que acho mais caricato é que para além dos ditos conteúdos (mapas) que se poderiam argumentar ter que ser pagos por acrescentarem coisas novas ao jogo, também se paga pelo "privilégio" de desbloquear automóveis e acessórios que estão no jogo. Ou seja, o tipo de coisa que anteriormente seria acedida via um "cheat code" hoje em dia é algo pelo qual empresas como a EA cobram 7, 10 e mais euros - novamente, mais do que o preço do jogo completo nalgumas loja online!


Que todos queiram ganhar dinheiro, muito bem... mas penso que há limites para tudo, e isto a que assistimos actualmente já ultrapassa esses limites.

[republicado do Aberto até de Madrugada]

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails