terça-feira, 7 de outubro de 2014

Forza Horizon 2


Já sabem que sou fã de jogos de automóveis, mas embora não perca uma oportunidade para competir com amigos nos icónicos circuitos também não resisto a jogos que nos deixam dar asas à imaginação e conduzir... por onde nos apetecer. No primeiro Forza Horizon foram incontáveis as horas que passei aos comando da Xbox 360 - com o Forza Horizon 2, era praticamente garantido que o mesmo acontecesse com a Xbox One.

Embora o Forza Horizon 2 esteja também disponível para a Xbox 360 (e seja altamente recomendável para quem a tiver), não tenham ilusões de que as diferenças são mais que muitas. Embora isso em nada invalide o factor divertimento - e até o "milagre" que é conseguir fazer um jogo destes que corra sem hesitações a 30fps num hardware com mais de meia dúzia de anos - se querem explorar este jogo ao máximo terão que o fazer numa Xbox One (e podem espreitar um vídeo das diferenças no final).


Comecemos pelas partes más... Quando comprei este Forza Horizon 2 fiquei super contente por ver um pequeno aviso de que o jogo estava em inglês. Infelizmente, é mentira.

A Xbox One tem uma falha completamente absurda, em que para terem a consola configurada em Portugal vos obriga a ter a linguagem também definida em Português - e como consequência não poderem tirar partido dos comandos de voz no Kinect. Como se isto não fosse suficiente, faz com que a maioria dos jogos sejam falados em brasileiro, e sem que nos seja dada a possibilidade de mudar a língua a não ser mudando a configuração da consola para os EUA (e que muda também a localização da loja, o que faz com que se tenha que andar sempre em alterações e reboots). Inadmissível numa consola que já está há um ano no mercado e que já deveria ter estes pormenores tratados.

Dito isto, embora o jogo prometesse ser em inglês, lá tive eu que continuar a gramar com dobragens em brasileiro, e nem as "rádios" que podemos escolher no jogo conseguiam escapar. (Para não falar que usar comandos de voz... népias!)



Felizmente, rapidamente conseguimos esquecer - mesmo que temporariamente - que o jogo está em brasileiro. Se em Forza 5 nos poderíamos sentir claustrofóbicos por estar limitados aos circuitos, em Forza Horizon 2 o mundo é literalmente o nosso palco, quer seja para correr ou simplesmente para passear. E olhem que dá mesmo gosto passear por este mundo digital, mais detalhado que nunca, e que agora replica o sul da Europa e estradas bem mais próximas das que conhecemos. Estradas... e fora de estrada, pois a grande vantagem do Horizon é precisamente não termos que nos limitar às estradas.

Sempre que o GPS nos faz ir dar uma "grande volta" para chegarmos ao nosso destino, nada nos impede de cortar caminho pelo meio de campos, florestas, e tudo o mais que nos aparecer pela frente. De vez em quando a coisa corre mal e damos connosco do lado errado de um muro que nos obriga a percorrer mais umas centenas de metros até encontramos uma passagem, mas na maior parte dos casos podemos simplesmente "levar tudo à frente" até ao destino.


É essa liberdade que faz do Forza Horizon 2 um jogo tão viciante como o original o fez na Xbox 360, mas agora com gráficos que nada ficam a dever a um computador artilhado, e com o sistema de simulação climatérico a produzir impressionantes chuvadas que dão outro dinamismo ao jogo (mesmo se a água não "escorre" pelo pára-brisas com a velocidade, como deveria...)

Embora aqui os criadores tenham fugido ao incentivo de começar logo a investir em compras, não nos livramos de ser logo aliciados com um pack VIP e o season pack que dará acesso aos conteúdos extra - é uma coisa da qual já não nos livramos, e que na prática faz com que um jogo acabe por ter um custo real de quase o dobro do que é pedido inicialmente. Algo que seria mais fácil de engolir se por cá os jogos tivessem um preço mais aproximado do de lá de fora, de 50 euros em vez de 70.

Espero bem que a MS esteja a trabalhar neste momento na possibilidade de nos deixar tirar partido do Kinect em Inglês mesmo estando com a Xbox One configurada para Portugal, e também de nos deixar escolher qual a língua preferida em que queremos jogar os jogos. Nada tenho contra quem quiser ouvir os seus jogos em brasileiro ou português... mas não me obriguem a isso quando eu prefiro ter os jogos em inglês.

Por fim, importará também referir que podem experimentar a demo do FH2 na vossa Xbox One gratuitamente hoje mesmo.



Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts with Thumbnails